Computador do David

Frontend – O que é? Qual e o retorno do investimento?

Desenvolver para frontend sempre foi considerado levianamente, pois muitas empresas pensam: o que interessa é ter qualquer coisa online que vai servir!

As questões importantes a colocar são:

  • O que é o frontend?
  • Porque é que empresas no estrangeiro investem centenas de milhares em desenvolvimento Frontend?
  • O que é a experiência do utilizador (UX)?
  • Vale a pena investir no frontend?

Começando pela primeira questão até à última, quero explicar de forma resumida cada um dos pontos.

O que é o Frontend?

Qualquer coisa física, tem um aspeto visual. Um site pode-se dizer que é virtual, contudo é materializado através do ecrã do computador ou do smartphone e torna-se assim visual, conseguimos ver as cores e formas no nosso ecrã.

O Frontend é essa parte visual do site. Além disso, não é só o que vemos mas todas as interações possíveis com o interface.

Pensa no Facebook por exemplo: quando escreves o teu post, fazes o upload de uma imagem e clicas em Publicar, sabes o que acontece? Há uma grande parte de programação por trás disso, que permite que assim que postes, a página não atualize toda e mostre imediatamente o post que acabaste de publicar. Ou quando clicas em Gosto no Facebook: é enviada uma informação para o servidor, que o utilizador gostou de certo post. Dessa forma notificações podem ser enviadas para quem subscreveu para essas notificações.

Benefícios

O desenvolvimento frontend tem bastantes benefícios. Por exemplo: em vez de investir em servidores mais caros e ter que fazer configurações complexas para que as coisas funcionem bem. Com um bom frontend, podes passar parte da complexidade que era processada no servidor, e dividir o esforço pelos browsers dos visitantes. Em vez de fornecer a página toda, apenas forneces o conteúdo necessário para o interface ser “montado” no browser do cliente/utilizador.

Performance

Porque não tens que pedir ao servidor uma página de cada vez, o utilizador vai ter uma sensação de performance diferente do que quando está em sites que não tenham a renderização de diferentes páginas no servidor. A transição da página A > B vai ser instantânea, e só terás de gerir como o utilizador vai aguardar pela chegada dos dados.

Desenvolvendo desta forma, vais adicionar mais interactividade, melhores opções para o utilizador interagir com o conteúdo do site.

Empresas no estrangeiro

Empresas em países que estão a investir fortemente em aplicações frontend, usando por exemplo uma série de técnicas novas chamada Progressive Web App (Aplicações Web Progressivas), estão a ter um retorno do investimento muito rápido, e estão a partir pedra no sentido de terem plataformas agradáveis, simples de utilizar e de manter.

Exemplos

Vamos tomar por exemplo plataformas como Facebook, Twitter, Instagram, Uber, entre muitas outras: as funcionalidades são fáceis de usar e entender para que servem, além disso, não precisamos de recarregar a página quando fazemos um post, porque a aplicação Frontend toma conta do resto.

Como profissional na área, estou muito contente de ver empresas em Portugal a investirem fortemente em desenvolvimento frontend, desenvolvimento de apps, porque quer queiras quer não, não é mais o futuro, nem sequer o presente: é um passado contínuo – há 5/6 anos, qualquer grande empresa deveria ter começado, e não vão tarde. Procurem especialistas frontend, procurem profissionais que vão levar o vosso site a outro nível, e vão ver o Retorno do Investimento que isso vai ter em 2/3 anos…

O que é o Design UX (experiência do utilizador)

Muitos empresários ou diretores responsáveis pela parte digital da empresa pensam: contratamos um freelancer 2 horas por mês para fazer os bonequinhos para o site. Deixa-me ser claro – a tua empresa está condenada!

Design gráfico

Cada vez mais as pessoas olham para a aparência, usabilidade e funcionalidades disponíveis. Ou seja, os utilizadores não procuram apenas um site, com conteúdo básico sem atualizações. Procuram cores agradáveis, consistência de tamanho/fonte do texto, elementos alinhados corretamente. O teu publico alvo usa o Facebook, Instagram, serviços do Google – portanto tens de lhes dar essa consistência a que eles estão habituados.

Como é que esperas fidelizar o teu cliente, se não investes o que outras empresas estão a investir? Vais ser comido pelas empresas gigantes que investem fortemente nisso.

…e só estou a falar de design gráfico!

Design de Experiência do Utilizador (UX)

Mais importante do que cores agradáveis, botões com cores chamativas, elementos alinhados, é a experiência do utilizador.

Por exemplo: numa compra online, o que vai acontecer quando o utilizador adiciona um item ao carrinho de compras? E depois de adicionar, como pode continuar a comprar se quiser? Ou como pode simplesmente comprar sem ter de ver o carrinho de compras? Se estiver no carrinho de compras como pode adicionar mais produtos? Remover um que adicionou a mais? O que acontece quando clica em comprar? Para onde é redireccionado se o pagamento for confirmado? Recebe um e-mail, ou não?

Achas que são muitos pontos? Estamos só no início. Cada pergunta leva pelo menos a 5-10 outras perguntas para refinar o comportamento esperado.

Pensa numa casa: quando um edifício está a ser planeado, pensa-se em vários factores. Paredes, portas, cozinha, janela, quartos, escadas. O arquitecto tem de se imaginar dentro da casa que está a desenhar, para colocar as portas no lugar certo. Por exemplo, talvez seja estranho ter o quarto cujo acesso é via a casa de banho que está na cozinha… Estás a achar absurdo esta comparação? Espera até entenderes mais de experiência do utilizador para ver os erros que há por essa internet fora.

Tão importante como construir uma casa e pensar nesses detalhes ANTES de começar a construir, aplica-se o mesmo no desenvolvimento de sites, plataformas online.

Vale a pena investir no Frontend?

Oh David, mas isso é muito bonito de falar. Quem paga por isso tudo?

Essa é de facto uma boa questão. Vamos supor que vais abrir uma loja física, no centro de Lisboa. Quanto é que vais investir nessa loja? 10 mil euros? 50 mil euros? Quantas pessoas vão passar nessa loja por dia? 10? 20? 200?

Queres investir num site que o teu vizinho faz numa semana, por 100€, e esperar ter os resultados que a Amazon tem na sua plataforma gigante? Ou que a bia.pt vai ter em breve?

Não vais ter. Não te esqueças também do facto que num site podes facilmente ter milhares de visitas por dia, que ao contrário da tua loja física, tens limitações que não terás online.

Voltando à loja física que abriste: quanto é que vais gastar em decoração, para dar uma experiência única e não parecer uma loja abandalhada? – isso é o frontend na internet. O teu site, é a decoração da tua loja, portanto INVESTE nisso – ontem já era tarde…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *