trabalhar em remote - bia.pt

Remote: sim ou não? A bia.pt diz sim

Trabalhar em formato remote é cada vez mais uma opção para muitos trabalhadores e uma vantagem oferecida por empresas. Mas nem todas estão disponíveis para negociar isto com os seus colaboradores por não lhes fazer sentido o trabalho ser feito a partir de outro local que não o escritório.

O importante é pensar no assunto e perceber em que posição se enquadra a empresa: sim ou não ao remote?

Na bia.pt, o trabalho em remote é normal e é a regra:

  • o David – diretor – mora em Amesterdão
  • a Ana – gerente – mora no Fundão
  • a Andreia – diretora financeira – mora em Amesterdão
  • o Luís – diretor de comunicação – mora na Covilhã
  • a Inês – designer – também mora no Fundão
  • a outra Inês (eu) – gestora de conteúdos – mora em Lisboa
  • o Vasco – programador – mora em Aveiro

 

Como vêem, trabalhar em remote é possível e funciona. Se não funcionasse, vocês não estariam neste site e este artigo nem sequer existiria.

“Trabalhar à distância é um desafio, pois a cultura de remote é difícil de integrar. Por outro lado, ajuda a empresa a crescer visto que não estamos dependentes de uma localização para contratar os talentos.” – David Ferreira (diretor da bia.pt)

A ideia da bia.pt nasceu em Amesterdão, com o David, mas foi ganhando forma no Fundão. Com alguns dos apoios estatais para criação de emprego e apoio ao empreendedorismo no interior de Portugal foi mais fácil dar corpo à ideia.

Surgiu a equipa, o escritório, os materiais gráficos, os parceiros, os autocolantes, os artigos e por aí fora.

Como nos organizamos?

Este é um ponto essencial para uma empresa que tem recursos espalhados por diferentes pontos geográficos. Têm de ser organizados.

“É importante estabelecer hábitos de trabalho que satisfaçam ambos os intervenientes do processo. A atribuição de tarefas e feedback semanal fazem parte dos requisitos que considero fundamentais.” – Vasco Silva (programador da bia.pt)

 

1. Criar um canal de comunicação

Nós usamos o Slack, mas qualquer outra ferramenta pode funcionar. É importante que haja um canal de comunicação entre todos e diferentes canais para conversas entre apenas alguns membros.

Na bia.pt, por exemplo, temos um canal em que falamos todos, temos outros apenas para discutir ideias e trabalhos de design e até temos um canal só para #comédia.

 

2. Confiança traz responsabilidade

Remote só funciona se todos colaborarem. Se pensarmos bem, é um enorme voto de confiança que a direção dá a cada um dos seus colaboradores. Assim, o mínimo que eles podem fazer é pegar nessa responsabilidade e transformá-la em profissionalismo.

Pode não haver horários, obrigatoriedade de dress code ou de outras regras comuns em empresas, mas se há uma reunião com todos às 14:00, então todos têm de estar preparados e presentes nela.

 

3. Criar regras

É importante criar-se regras logo desde o início.

Temos sempre reunião às 11:00 entre toda a gente? Podemos ficar um dia sem internet e pôr o resto da equipa a par das novidades só amanhã? Há algum dia em que tenhamos mesmo de estar no escritório? Se as regras estiverem bem definidas desde o início, toda a gente sabe com que linhas se cose.

 

4. Todos a bordo

Quando não falamos cara a cara, pode haver questões que fiquem menos bem explicadas ou dúvidas em relação a alguns assuntos. É preciso que todos tenham consciência de que a comunicação é muito importante e que dá trabalho. E não pode ser descurada.

 

5. Momentos juntos são importantíssimos

Mesmo que no dia a dia estejam quase todos separados, como é o nosso caso, é importante criarem momentos em que estejam todos juntos.

Seja uma noite para celebrar a primavera, um jantar de natal, o aniversário da empresa ou uma atividade de team building. Criar momentos em que todos se possam conhecer melhor é muito importante e encarregar alguém de preparar essas alturas, com jogos ou atividades de grupo, pode ser um bom método.

 

6. O Remote tem muitos benefícios

Sabem aquele dia em que vos dava mesmo jeito tirar a manhã para irem à segurança social? Ou para estarem em casa porque vai lá o técnico de eletricidade? Ou porque têm de ir fazer um exame e não sabem quanto tempo demora? Ou, simplesmente, porque acordaram com um torcicolo e não conseguem conduzir?

Trabalhando em remote, é fácil de fazer essas tarefas sem ter de tirar um dia (ou meio) de férias. Desde que estejam aptos para conversar com a equipa, sempre que for necessário.

 

Alguma vez trabalhaste em remote? A tua empresa está recetiva a este tipo de trabalho? Conta-nos em comentário como foi a experiência.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *